domingo, 26 de fevereiro de 2012

Seus vinte e poucos


No último dia 20, alguém fez aniversário. Sim, e é uma pessoa muito especial em minha vida. Seria impossível transcrever o que de relevante fez em minha trajetória desde o não tão distante 25 de março de 2005. Mas posso apontar as coisas que me encantaram. Talvez seja um pouco convencional o fazer em prosa, mesmo não sendo minha especialidade vou tentar falar dela assim:

Luz de minha vida de exuberância plena

Em teu seio minha existência entrou em riste

Se sem seu amparo me encontro triste

Felicito-me de sua dignidade helena

Meus anseios por ti retumbam

Ora poia, se tu me destes outrora

Aquele brio maravilhoso do presente da aurora

Sem nada a querer em troca

Somente o gozo da vida intensa lhe flutuam

Através de seus olhos aprendi o amor

Através de suas palavras aprendi a enfrentar

Através de suas ações aflorei meu fervor

Através de seu calor aceito o mundo acabar

Nesses vinte e poucos em que se encontra

Desejo que seu mundo possa lhe dar

Coisas que não posso me dar conta

E posso simplesmente te amar e amar

Feliz aniversário meu amor!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A primeira professora


Muitos dizem que sei de tudo, que sou uma enciclopédia ambulante, e até me apelidaram de Google. De fato, modéstia à parte, possuo um conhecimento acima da média para uma pessoa de minha idade. Sei muitas coisas dispensáveis à maioria dos seres humanos, e que em grande parte não farão diferença alguma em minha vida. Esta sabedoria me fez interessar pelas luas de saturno, os esquadrões mais poderosos das história do futebol, grandes movimentos cinematográficos, acontecimentos históricos diversos. Tenho argumento para me manter em debates sobre política, costumes, arte e até religião. Confesso que, como todo mundo, tenho uma fraqueza, a música. Mas isto é outra história. Toda esse meu currículo foi apenas para falar sobre a pessoa responsável por esta gana no saber. Alguém que adorava ser uma professora por diversão e ocasião. Um gênio, escreve como ninguém, e quando estudava era sempre a número um. Seus boletins escolares gabados aos quatro cantos por minha mãe me despertava uma inveja (boa) de querer ser aquilo tudo também. Seus ensinamentos, que além da sinopse bem arquitetada de suas aulas, eram de como armazenar o conhecimento e fazer uso dele quando o apuro nos forçar. Não, ela não me ensinou tudo o que sei. Mas pelo seus olhos pude enxergar a realidade do nosso mundo, e aprendi que mesmo sendo o primeiro da classe, isso não garantiria meu futuro. Sinto não vê-la como uma professora formada. Mas sacrificou uma brilhante carreira para ser companheira de nossa mãe. Entretanto ainda aguardo o momento em que realizará seus sonhos, e poderá usar todo o conhecimento que acumulou em seus recém-completos 32 anos. Estarei lá para bater palmas e prestigiá-la. E se por acaso este dia não acontecer, será sempre a minha primeira e melhor professora, minha advogada dentro de minha casa, uma pessoa incrível que me ensinou o que eu mais precisava aprender. Aprender. Obrigado, minha amiga, minha professora, minha irmã.