domingo, 25 de março de 2012

Os Homens do Futuro




O jovem havia entrado naquele barulhento ônibus que já deixava para trás o distrito em que foi criado. Estava ansioso pois estava indo encontrar com a garota por quem estava apaixonado. Era a primeira vez que conversariam de uma forma mais íntima. Quando marcou o encontro pensou que talvez ela desistisse, se daria conta de que era demais para aquele rapaz quase sem graça. Mesmo assim confirmou, e parecia que estava mesmo afim de responder aos seus sentimentos.

Não se lembra muito bem de como aconteceu, mas de repente se viu em um cenário estranho, parecia a sua casa, porém com aspectos que não reconhecia. Olhou a sua volta se entender nada, tentava gritar, mas não conseguia. Tentou correr, não moveu nem um centímetro. Quando se desesperou, finalmente um sinal de vida entrava pelos seus ouvidos.
_ Você está em seu sonho.
Uma figura saiu das sombras e se aproximou. O jovem olhou assustado, era ele mesmo quem estava à sua frente. Um pouco mais gordo, com um sorriso estampado no rosto.
_ Quem é você? – não se conteve em perguntar.
_ Sou você daqui a sete anos.
_ Mas como?
_ É um reflexo futuro condicionado. Uma espécie de previsão do futuro através de um sonho.
_ O que faz aqui?
_ Vim garantir que faça a coisa certa.
_ E qual é?
_ Não deixar que desista de encontrar com ela. Sei que está inseguro, mas acredite, vai dar tudo certo.
_ Será? Ela é demais para mim, ou nós.
_ Não. Ela é feita para nós como somos para ela.
_ Como é nosso futuro?
_ Passamos por momentos difíceis, mas enfrentaremos juntos. Só estamos fazendo o que gostamos por que ela acredita e nos faz acreditar em si mesmo. Quando tivemos dúvidas, ela indicou o caminho. Estará sempre ao nosso lado no momento mais difícil que enfrentaremos daqui a alguns meses. Seremos companheiros na alegria, na tristeza, com dinheiro ou sem.
_ Mas temos dinheiro?
_ Bem, terão que trabalhar bastante. Ela já está seguindo seu caminho e você batalhando para alcançar. Mas estamos na trilha certa.
_ E se eu desistir?
_ Por isso eu trouxe ele.
Das sombras sai uma outra versão dele mesmo. Porém era diferente do outro. Carregava consigo um semblante pesado e triste.
_ Você também é eu?
_ Sim, de uma versão alternativa de futuro. Sou fruto de sua desistência em encontrar com ela.
_ E como é?
_ Somos formados em química e ganhamos dinheiro, mas odiamos a profissão. Não tivemos coragem de fazer o que gostávamos, sempre ouvindo que não teríamos onde trabalhar. Sacamos tudo de cinema, mas ninguém sabe, pois o medo de acharem nossa crítica de baixo nível. Ainda sofremos com a perda de um ente querido, por que ninguém nos deu suporte para superar. Nos envolvemos com garotas vazias e sem perspectivas, e até hoje nos arrependemos de não ter ido neste encontro.

O jovem ficou olhando para seus dois futuros. Os dois se afastavam e entravam nas sombras enquanto sua vista ficava embaraçada. De súbito acordou. Ficou alguns minutos refletindo sobre o sonho esquisito que teve. Quando o ônibus parou em um ponto antes do qual deveria descer titubeou, pensou em descer e desistir de tudo. Ela se decepcionaria com que ele era. Não tinha nada a oferecer, além de tudo tinha uma personalidade difícil.

Naquele instante pesou na balança sobre o seu sonho. Imaginou se tudo era verdade. Decidiu seguir em frente, e mesmo que aquele presságio fosse apenas um sonho maluco, deixou a insegurança para trás e seguiu seu coração.

Sete anos depois ele escreveu este texto, e a única certeza que tem é que valeu a pena seguir seu coração. E depois de tantos momentos difíceis, sabe que só é feliz por que ela está ao seu lado.

Te amo Bárbara e obrigado por estar sempre ao meu lado.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Feliz dia Internacional da Mulher


Não existe homem sem a mulher. A dependência começa no berço e se estende até o fim da vida. Algum que não tenha em sua rotina um contato de importância elevada com alguma mulher que seja com certeza não é um ser humano normal. Elas vão dominar o mundo, dizem, mas duvido muito. O afeto e a solidariedade as fazem compartilhar, e não tomar, o posto de ser dominante. Lutaram desde meados século XX para deixarem de ser recessivas, não para virar a mesa, invertendo a equação preconceituosa que predominou por eras no planeta Terra.


Não teria vindo ao mundo se a Dona Neuza não tivesse me concebido. Com ela dei os primeiros passos, aprendi o que é certo e errado, mesmo que o errado não fosse totalmente errado. Através de suas crenças e convicções fez de mim uma criança que cresceu sendo elogiado pela conduta impar. Quando já adulto, percebi que ela não era a dona da verdade, mas a verdade que ela transmitia, era benfazeja e cheia de intenções amorosas. Mesmo que tenha opinião formada, e muitas vezes, contrárias às suas, não há tensão, pois ela sabe que fez um bom trabalho e traçou-me um caminho idôneo.

Não teria me empenhado em me tornar bom em tudo que faço se a Flávia não tivesse me inspirado. Ela sempre foi a melhor na escola, em saber das coisas. Foi uma professora especial que me conduziu por uma infância difícil, compactuando com minhas bobagens infantis, não permitindo que eu deixasse a minha mente fértil sucumbir ao cansaço da labuta diária na roça. Juntou-se a mim no amor pela sétima arte e respeita minhas opiniões tanto quanto admiro suas análises abrangentes sobre uma peça cinematográfica.

Não teria chegado onde estou hoje se não fosse pela Bárbara. Ela entrou na minha vida pouco antes de uma transição dolorosa ter ocorrido. A morte de meu pai abalou nossa família de uma forma terrível e coube a mim ser o braço forte que amparou a todos. Mesmo sendo o mais jovens, consegui ser o mais lúcido. Mas enquanto consolava os outros, Bárbara me dava o apoio que precisava. Quando a tempestade passou, me mostrou o caminho da bonança, e quando eu mesmo não acreditava em meu potencial, foi a primeira a levantar meu astral e fazer com que enxergasse o que eu era, e o que posso ser. Se estou a formar em uma faculdade, é tudo fruto de sua perseverança quase transcendental.

A todas as mulheres do mundo, aceitem esta declaração de amor às mulheres de minha vida como um elogio a todas vocês, e acreditem: Nenhum homem viveu e jamais viverá sem que uma mulher esteja lhe dando algum tipo de apoio. Um dia, nosso planeta será igual, sem que ninguém fique em baixo ou em cima, apenas lado a lado.

Dedicado a Neuza, minha mãe, à minha irmã Flávia e à minha noiva Bárbara, as mulheres e amores de minha vida.