domingo, 25 de março de 2012

Os Homens do Futuro




O jovem havia entrado naquele barulhento ônibus que já deixava para trás o distrito em que foi criado. Estava ansioso pois estava indo encontrar com a garota por quem estava apaixonado. Era a primeira vez que conversariam de uma forma mais íntima. Quando marcou o encontro pensou que talvez ela desistisse, se daria conta de que era demais para aquele rapaz quase sem graça. Mesmo assim confirmou, e parecia que estava mesmo afim de responder aos seus sentimentos.

Não se lembra muito bem de como aconteceu, mas de repente se viu em um cenário estranho, parecia a sua casa, porém com aspectos que não reconhecia. Olhou a sua volta se entender nada, tentava gritar, mas não conseguia. Tentou correr, não moveu nem um centímetro. Quando se desesperou, finalmente um sinal de vida entrava pelos seus ouvidos.
_ Você está em seu sonho.
Uma figura saiu das sombras e se aproximou. O jovem olhou assustado, era ele mesmo quem estava à sua frente. Um pouco mais gordo, com um sorriso estampado no rosto.
_ Quem é você? – não se conteve em perguntar.
_ Sou você daqui a sete anos.
_ Mas como?
_ É um reflexo futuro condicionado. Uma espécie de previsão do futuro através de um sonho.
_ O que faz aqui?
_ Vim garantir que faça a coisa certa.
_ E qual é?
_ Não deixar que desista de encontrar com ela. Sei que está inseguro, mas acredite, vai dar tudo certo.
_ Será? Ela é demais para mim, ou nós.
_ Não. Ela é feita para nós como somos para ela.
_ Como é nosso futuro?
_ Passamos por momentos difíceis, mas enfrentaremos juntos. Só estamos fazendo o que gostamos por que ela acredita e nos faz acreditar em si mesmo. Quando tivemos dúvidas, ela indicou o caminho. Estará sempre ao nosso lado no momento mais difícil que enfrentaremos daqui a alguns meses. Seremos companheiros na alegria, na tristeza, com dinheiro ou sem.
_ Mas temos dinheiro?
_ Bem, terão que trabalhar bastante. Ela já está seguindo seu caminho e você batalhando para alcançar. Mas estamos na trilha certa.
_ E se eu desistir?
_ Por isso eu trouxe ele.
Das sombras sai uma outra versão dele mesmo. Porém era diferente do outro. Carregava consigo um semblante pesado e triste.
_ Você também é eu?
_ Sim, de uma versão alternativa de futuro. Sou fruto de sua desistência em encontrar com ela.
_ E como é?
_ Somos formados em química e ganhamos dinheiro, mas odiamos a profissão. Não tivemos coragem de fazer o que gostávamos, sempre ouvindo que não teríamos onde trabalhar. Sacamos tudo de cinema, mas ninguém sabe, pois o medo de acharem nossa crítica de baixo nível. Ainda sofremos com a perda de um ente querido, por que ninguém nos deu suporte para superar. Nos envolvemos com garotas vazias e sem perspectivas, e até hoje nos arrependemos de não ter ido neste encontro.

O jovem ficou olhando para seus dois futuros. Os dois se afastavam e entravam nas sombras enquanto sua vista ficava embaraçada. De súbito acordou. Ficou alguns minutos refletindo sobre o sonho esquisito que teve. Quando o ônibus parou em um ponto antes do qual deveria descer titubeou, pensou em descer e desistir de tudo. Ela se decepcionaria com que ele era. Não tinha nada a oferecer, além de tudo tinha uma personalidade difícil.

Naquele instante pesou na balança sobre o seu sonho. Imaginou se tudo era verdade. Decidiu seguir em frente, e mesmo que aquele presságio fosse apenas um sonho maluco, deixou a insegurança para trás e seguiu seu coração.

Sete anos depois ele escreveu este texto, e a única certeza que tem é que valeu a pena seguir seu coração. E depois de tantos momentos difíceis, sabe que só é feliz por que ela está ao seu lado.

Te amo Bárbara e obrigado por estar sempre ao meu lado.

Um comentário:

  1. meu amor ainda bem que vc foi aquele encontro, pois tenho certeza que a partir daquele dia nos tornarmos mais felizes... te aamoooooooo.

    ResponderExcluir